26 de maio de 2009

Miopia

Nem a bicicleta eu enxergava.
Percebi que estava cego, bastante cego,
mas ainda assim não desisti,
e montei.
Subi as dezenas de rampas da garagem
com a bicicleta ao meu lado,
por baixo de meus braços.
O chão se ampliava e diminuía a cada passo,
subindo e descendo - fiquei tonto.
Fui pensando em como andaria na rua,
com vários elementos que poderiam vir a ser ruins
sobre o meu ponto de vista: pessoas atravessando;
carros andando, rápidos e devagares;
bueiros abertos e fechados
na beira dos meios-fios;
pedras, cacos e galhos no meio da rua.
Por um momento fiquei preocupado,
mas tendi a acreditar mais na minha sorte.
Então saí marchando para a guerra.

Nenhum comentário: