15 de setembro de 2009

Linha 758

A curva era muito fechada e estreita
para esse ônibus imenso, daquele tamanho,
que não conseguiria passar ali, ainda mais naquele horário,
às seis da tarde, com a avenida apinhada de carros.

Mas o motorista insistia em viajar por ali,
para chegar o quanto antes à padaria.
Se intrometeu, com um ar presunçoso,
no meio da já confusão de carro e caminhão,
abusando de sua condição.

O ônibus avançava com extrema dificuldade
e, por vezes, buzinas eram escutadas, vindas do nada,
reclamando de tudo e todos naquele lugar.

Com um baque, o inevitável aconteceu,
e o primeiro pequeno carro foi carregado
pelo tal motorista e seu ônibus fragmentado.

E, com este acidente previsto,
vários outros foram tomando espaço,
até que aquela pequena curva, tão querida e disputada,
tinha se virado contra todos num caos incontrolável.

Num segundo, caminhões esmagavam carros que,
por sua vez, caçavam lambretas e,
conforme o motorista, desesperado,
tentava se contrair para fora desta orgia,
os passageiros, em multidão,
puxavam a corda por toda a extensão,
emitindo aquele conhecido som de abandono,
sempre para longe dessa curva, dessa superlotação.

23 comentários:

Kariis Lie disse...

aiin... onibus, 6 da tarde, acabei de saiir de um! =x
post ótimo, assim como os outros,
voltarei mais vezes!
=*

L ! disse...

Bem real, teu relato!
^.^'

http://adytaness.blogspot.com/

[ Visite-o ]

, Miima disse...

Porque os motoristas acham que são Super Homens e estão disputando a Fórmula 1 em Mônaco sempre!!

Passo por isso quase sempre!
Aff... Mas sem tanta beleza de palavras!


http://buneca-de-pano.blogspot.com

Karin disse...

nunca ouvi fla disso^^
http://www.esquisiticesdanet.blogspot.com/

Léo disse...

mto legal o post...
Abraços..

http://dicademusica.blogspot.com/

seuvicio disse...

Se o texto fosse meu eu trocaria "esse ônibus imenso" logo ali no começo, por "um ônibus imenso".

Mas no geral tá interessante. Faltou, sei lá, um pouco de orégano ou salsinha, só.

João Victor Borges disse...

se eu mudar, perde o sentido. ^^

Jonathan disse...

É meu amigo, quem tudo quer nada tem, Paciência é tudo

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador...
Voce me fez lembrar de um filme sobre um enorme desastre que aconteceu emuma autoestrada nos estados unidos... acho que foi na decada de 70... foi enorme!

seuvicio disse...

perde nada.

Em Família disse...

amor ? sexo ? mulher mada? amor proibido ? Que nada nos dias de hoje assuntos não-violentos estão perdendo espaço e virando assunto de gente ingenua.

Rafa disse...

"...O ônibus avançava com extrema dificuldade e, por vezes, buzinas eram escutadas, vindas do nada, reclamando de tudo e todos naquele lugar...."

Adorei esse trecho, singelo, texto muito bom

O príncipe bêbado e a plebeia equilibrista – Um encontro marcado
Olá!
Acabo de postar no meu blog o texto Fábula
Para acessar o texto o link direto é
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2009/09/o-principe-bebado-e-plebeia.html
Cemitério das Palavras Perdidas
http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

Inez disse...

Seu texto me fez ver o início da rua em que moro, é uma curva absurda por onde passam ônibus e caminhões.
Nunca houve acidentes graves, mas, pequenas batidas é comum.

Annie disse...

I-N-C-R-Í-V-E-L.
Você escreve MUITO,mas MUITO bem mesmo! *.*
É um jeito tão diferente de descrever uma cena,mas tão gostoso de ler! :D
Eu ADOREI! :D
Parabéens! =D

William disse...

muito bom!
bem real
http://blogarei.blogspot.com/

Naya Rangel disse...

Nossa você escreve muito bem! Consegui imaginar com perfeição e riqueza de detalhes a cena do acidente!

Abraços!

http://kultura-digital.blogspot.com/

http://kultura-inutil.blogspot.com

Kelly Christi disse...

Que agonia real seu texto!!!
Estilo uerbano legal o seu...

bjs

Keisy Oliveira C. disse...

Nossa... achei o seu texto suuper! mto bom msm, sério... Eu estava lendo, e me senti como se estivesse fazendo parte dele' xD Parabens...

~~ disse...

muito booooom o seu blog =D

Eduarda Ramos disse...

Nossa, gostei é aungustiante ler... isso me volta à cabeça coisas assistidas pela televisão, jornais etc.


Abraço.

Pobre esponja disse...

Gostei de ler. Já comentei em quase todos aqui, atualize mais se possível.

abç
Pobre Esponja

Gabriel Alex disse...

Isso que da fazer alguma coisa sem pensar, as vezes geram reações em cadeia... Muito bem escrito!

jaka disse...

o mais bizarro num acidente envolvendo onibus, eh ver as pessoas sacudindo dentro, velhinhas sem mais o vigor da juventude, caem como seres inanimados de qualquer jeito.