6 de setembro de 2009

Não Se Preocupe

Ao olhar nu, nada existia.
O par de pistas duplas da avenida
eram vistos como a o infinito sem vida.
Nenhum som podia ser ouvido
e nenhum passo podia ser contado,
apenas um ar, sobretudo quente e ácido,
era respirado.
Mas, a propósito da rotina,
aparece uma mulher ao longe,
a andar quadras e quadras
sem sair do lugar.
Sua alma, em evidência,
transmite uma perturbação de nada,
tão vazia e transparente,
tão preocupada e gasta.
Seu andar é puramente corporal,
disfarçado ao tentar ultrapassar
aquele complicado quadrado fechado
no qual é inútil apressar o passo.
Ela anda mas não anda,
e, curiosos, esquadrinhamos
a sua imagem falada.

13 comentários:

seuvicio disse...

Caralho, um texto bom de verdade nessa bostosfera. Só vou colocar umas tretas aqui pra vc ver se tá mesmo conforme o q vc quis por ou se foi desatenção, tá ligado? Não vá achar q estou dando pitaco na sua escrita.


Ao olhar nu, nada existia.
­ ­ ­ ­ ­ O par de pistas duplas da avenida eram vistos como A (isso foi erro ou estilo?) o infinito sem vida.
­ ­ ­ ­ ­ Nenhum som podia ser ouvido e nenhum passo podia ser contado,
­ ­ ­ ­ ­ apenas um ar, sobretudo quente e ácido, era respirado.
­ ­ ­ ­ ­ Mas, a propósito (ou despeito?) da rotina, aparece uma mulher ao longe,
­ ­ ­ ­ ­ a andar quadras e quadras sem sair do lugar.
­ ­ ­ ­ ­ Sua alma, em evidência, transmite uma perturbação de nada,
­ ­ ­ ­ ­ tão vazia e transparente, tão preocupada e gasta.
­ ­ ­ ­ ­ Seu andar é puramente corporal,
­ ­ ­ ­ ­ disfarçado ao tentar ultrapassar aquele complicado quadrado fechado
­ ­ ­ ­ ­ no qual é inútil apressar o passo.
­ ­ ­ ­ ­ Ela anda mas não anda,
­ ­ ­ ­ ­ e, curiosos, esquadrinhamos a sua imagem falada.


Tem no filme sobre o livro do Chico Buarque, estorvo, uma passagem em que se fala em pegar na guria, mas não pra capturar os músculos, e sim o movimento. seu texto me passou algo de similar.

Wander Veroni disse...

Gostei da objetividade do conto e da forma como montou a história.

Abraço :D

João disse...

seuvicio -

sobre o "a o infinito",
quando eu escrevi o texto, até pensei em colocar "ao" nessa frase por ter certeza de que estava correto. mas aí depois voltei para o "a o" porque quis intensificar a ideia do infinito, como "o infinito", "a o infinito", para dar a impressão, a quem lê, de que a avenida estava, de fato, como o infinito vazio, totalmente sem vida.

e sobre o "a propósito da rotina",
sim, neste eu realmente me enganei. ao colocar "a propósito", quis dizer "por causa da rotina...", "devido à rotina", mas o "a" realmente não é a preposição certa para esse entendimento. não sei se ficou melhor, mas mudei para "por propósito da rotina". acho que fica mais claro.

e obrigado pelos elogios ^^

Ivan Ryuji disse...

Curti seu post cara;
mas sem fazer profundas análises, só tenho uma pergunta: de alguma forma baseado em fatos reais?
Me lembrou andar numa avenida depois de uma noitada, não sei porque haha
Parabens pelo blogs
Abraço

Ivan Ryuji
http://blogdoryuji.blogspot.com/

Jefferson Reis disse...

Vou contar-te o que senti. Imaginei dentro de um apê muito claro. Olhava tristemente pela janela a avenida fria e sem vida lá embaixo. De repente uma mulher veio ao longe e isso fascinou-me, mas ela esta tão longe que eu não poidia tocá-la, então satisfiz-me ao olhá-la de longe!

→Aท@ ¢A®0ℓ!ทA← disse...

Gostei mesmo do post! Um conto que mais parece poesia,curto e impactante... Um pouco subjetivo neah, a gnt curte mais as palavras do que a idéia, mas tah mto bom!
=D

mediskina disse...

Ótimo texto!

Geriel Barros disse...

Texto muito bom cara parabéns se vc algum dia quisser ter uma banda de rock já está preparado para o sucesso com essas sua letras .. ou se vc quisser apenas escrever siga que vc vai ter sucesso ..abraço

Adm. Marcelo Leite disse...

Disserta muito bem :o

Daniel Silva disse...

Os textos estão muito legais, só o layout do blog (fontes e tal) que poderiam melhorar.

Abraço

Inez disse...

Gosei muito do texto, fala de uma pessoa que anda mas não sai do lugar, como a inércia que às vezes nos pegamos.

BLOGUEIRO EXECUTIVO disse...

Texto bem trabalhado, texto bem ilustrado, sendo assim um texto louvável de parabéns!

Dalila disse...

Texto muito bem escrito,com idéias interessantes e muita criatividade.Continue escrevendo vc vai longe.....Sucesso. Será um belo escritor.
PARABÉNS!!!!!!!!!!!