16 de junho de 2010

Temporais

Do futuro, pouco é válido.
Dele, não posso querer almejar nada.
Não posso querer ter o controle
dos destinos criados por meus delírios,
que, contrariamente, hão de surgir por si mesmos.

Não posso querer planejar em linhas históricas
um rumo qualquer, visto que num segundo
tudo mudará, e minha vida rolará terra abaixo
se eu não souber conduzi-la diferentemente.
Do futuro, não posso esperar um pingo de certeza.

Do presente, pouco é válido.
Por estar vivendo no atual instante,
pareço desmerecer esse fato solidamente,
e não o dou crédito necessário.
No presente, sou motivado a perseguir ações
que me interessam, que eu faço pelo orgástico desejo
ou necessidade do momento.

Das outras ações rotineiras,
cujas são maiores que as prazerosas
e seguidas num ritmo doentio dia após dia,
essas eu não vivo. Elas passam por mim tão batidas
que eu as ignoro, pois precisarei delas para sempre,
e nunca as darei atenção ou vivacidade. Do presente,
vivo apenas o diferente, o que se resume a quase nada.

Do passado, pouco é válido. Como no presente,
tenho capacidade infinita de lembrar as coisas extraordinárias.
Elas vêm à cabeça como um ninho de beija-flores inquietos,
e delas me orgulho. Do resto da minha vida,
um resto maior e sobreposto à quantidade
de lembranças marcantes, eu não me recordo em nada.

De todos aqueles dias pacatos que vivi,
deles não me lembro.
Foram deletados cruelmente,
excluídos de uma história de vida.
Do passado, lembro apenas o diferente,
o que se resume, igualmente, a quase nada.

Demarcadas, então, linhas de existência,
eu apenas levianamente estou vivo,
beirando a condição de moribundo,
pois, do tempo, pouco é válido.
Será que eu indiscutivelmente
vivo toda a minha vida?

43 comentários:

Antonoly disse...

Como sempre um excelente
texto por aqui.
Um abraço!

Karla Hack disse...

A pergunta final já me fiz várias vezes...
Seus textos maravilhosos como sempre, tem muita intensidade!
;D

Srt . Vasconcelos disse...

Texto excelente, que me fez sentir diferentes situações. Senti alegria quando disse futuro, e medo quando disse passado.
Me fez pensar e refletir. Você escreve perfeitamente bem!

Caetano Lorenzetti disse...

Vou voltar aqui mais seguidamente. Gosto muito de seus poemas..
Parabéns e sucesso.

http://analisefc.blogspot.com/

Guilherme Bayara disse...

Também já me fiz a pergunta final.
As vezes parece que não vivo tudo que tem a ser vivido em minha vida. (frase mega repetitiva)

Ótimo texto!
Parabéns!

Robinho Bravo disse...

Muito bom seu poema!
Escreve bem!

Eu vejo da forma que tudo já passou e vai passar então temos que tomar decisões e não se arrepender delas, por só somos o que somos pelas decisões que tomamos!

quando tiver um tempo
http://bemdesocupado.blogspot.com/
"Pensamentos soltos, casos engraçados e pediatria em geral."

Sandinha disse...

Olha mocinho, o seu texto é incrível.
Lindo em todos os parágrafos.
Sabe aquelas pessoas que andavam te perseguindo? Era inveja! rs

Parabéns *-*

Abraço forte.

Guilherme Lombardi disse...

excelente texto, você escreve muito bem! Já me fiz essas perguntas diversas vezes

Karla Hack disse...

Sempre bom ler e reler seus versos!
São bem diferentes e interessantes.

Queria agradecer pelas suas palavras lé no meu blog...
A morte de Saramago foi uma perda tremenda... Mas seus trabalhjos serão eternos.

;D

Nathália :) disse...

Segunda vez que venho aqui e fico ainda mais encantada com os seus poemas. Me identifiquei muito com esse, lindo, profundo, complexo... excelente! Continue assim!

Macaco Pipi disse...

EM CADA SITUAÇÃO PROCURAMOS NOSSA IDENTIDADE
UMA FELICIDADE!

Macaco Pipi disse...

TEMPORAIS DE EMOÇAO!!

Marilia disse...

queria ter um dom desse pra escrever, parabéns. Um grande escritor. http://marijuh.blogspot.com

luiza Nishizaki disse...

Lindo e inspirador.
www.thingsithink123.blogspot.com

Tatiana disse...

vc escrebe muito bem menino! consegue com facilidade oscilar e provocar as emoções atraves de palavras.
Muito talentoso viu?
Parabéns!!!

__

http://www.coracaoonline.blogspot.com/

Melhor Free disse...

Pra te falar a verdade não gosto de ler, mais continue escrevendo, não é todo mundo que da conta de fazer textos!

meublog disse...

gostei muito do seus textos!:)

Arash Gitzcam disse...

eu considerava certeza como indispensável até que a perdi...

Jonatas Fróes disse...

Texto bacana, bem estruturado, mas ainda pode melhorar hein?!

[]'s

http://musikaholic.wordpress.com/

Caetano Lorenzetti disse...

O que passou, passou. Vivemos o presente para nos orgulharmos nosso passado no futuro.

http://analisefc.blogspot.com/

Rodrigo Ferreira disse...

Muito bom o texto
vou sempre passar por aqui
para ver os textos
abraço

saudeecompanhia disse...

excelente post!Amo poesia!Vivemos de passado e esqucemos do futuro.

Vc curte rock? disse...

Boa noite garoto... escreves muito bem!

Serei um leitor assíduo do seu blog.

abraço

Vc curte rock? disse...

parabéns pela poesia


muito boa, lerei outras

Kée Moraes disse...

que belo texto. Parebens! Segue ?
http://decodificarsuamente.blogspot.com oobg :]

Peco! disse...

Parabens, vc escreve muuito bem! Voltarei aqee mais vezes! To seguindo! Se puder me seguir!
http://imagenspradescontrair.blogspot.com/

Guizzinhow disse...

Muito bom, cara, estou seguindo, preciso ler algumas coisas assim, de vez em quando.

Não te obrigando, mas se puder dar uma olhada, aqui está o meu blog:

http://shuffleblogz.blogspot.com/

Victor Faria disse...

Excelente! Parabéns! Você escreve muito bem!

Abraço!

Tem enquete lá no meu blog. Vota lá!
http://www.papodeinformatica.blogspot.com

Pierrot disse...

É o tempo implacável que nos torna sábios e burros em velocidade única.

Bela dissertação.
E parabéns pelo blog.

jkred disse...

Muito bom o texto, excelente, incrivel, voce escreve maravilhosamente bem
vou sempre passar por aqui
para ler seus otimos textos, parabéns.

Plugaki disse...

texto excelente!

Pedro Silva disse...

Tenho o presente e a vida pela frente. Fugindo correndo dos dias indiferentes.

http://arquitettoviajante.blogspot.com

Abraço.

Erzsébet disse...

Gostei muito da levada que você deu ao texto, a mensagem também me é muito presente. O "pouco é válido" deu uma boa introdução do que é passado, presente e futuro. Eu, saudosista que sou, gosto muito do passado, pois o presente não existe, nem o futuro; então o passado é tudo q tenho.

Flaemmchen

Guilherme Lombardi disse...

belo poema, parabéns por escrever e se expressar tão bem! São pouquissimos que tem esse dom!

Arash Gitzcam disse...

mto tempo perde o bôbo...

Juliana Lima disse...

Cara que texto é esse???
MAGNÍFICO!!!!!
< De todos aqueles dias pacatos que vivi,
deles não me lembro.
Foram deletados cruelmente,
excluídos de uma história de vida.
Do passado, lembro apenas o diferente,
o que se resume, igualmente, a quase nada. >

Tão óbvio (ululante), mas despercebido...

Ahhh... Amei tbm o teu EU < e se a morte fosse em cores e a vida preto e branco? >

http://desvariodecolombina.blogspot.com/

=)

Macaco Pipi disse...

que um guarda-chuvas nos salve!

Diana disse...

A pergunta final já me fiz várias vezes...

Dorei seu texto e seu blog
Estarei sempre por aqui
ja to te seguindo
bjuss

Cristina Moura disse...

após a tempestade surge o arco-íris lembre-se disso*
adorei seu blog, se quiser passa no meu depois http://criistinamoura.blogspot.com/

Alan Costa disse...

belas palavras joão
muito boa suas reflexões.

Marujo da Net disse...

De fato, não dá pra planejar o futuros, ainda mais em momentos de delírio. Curti muito seu texto! Seu Blog ta bem bacana. Abçs, Marujo

Anônimo disse...

Joãaaaaaao enlouqueço com seus textos ! Vc escreve muuuito !
Julia Vital.

jaka disse...

Muito bom o texto, excelente, incrivel, voce escreve maravilhosamente bem
vou sempre passar por aqui
para ler seus otimos textos, parabéns. 2